Sexta-feira, 27 de novembro, 2020

Este ensaio apresenta uma reflexão sobre a cultura do consumo alimentar de feijão no Brasil, enquanto se produz uma abordagem histórico-cultural. O tema proposto foi validado teoricamente por meio da ideia de jogo de poder local e de uma compreensão da cultura alimentar no contexto da cultura definida por Claude Lévi-Strauss. O olhar histórico-cultural, além de ampliar a leitura científica dos dados quantitativos do consumo de um alimento, garante uma compreensão mais ampla, significativa e dinâmica do consumo alimentar. O componente histórico e cultural da alimentação é, portanto, tão importante quanto o componente econômico e nutricional na promoção de uma corrente adequada, saudável e sustentável. Ao mostrar que o feijão é alheio ao alimento-commodity servido no Shopping Center em uma cultura globalizada, devemos considerar a comida como um ser constituído por um patrimônio histórico nacional. E se esse mesmo circuito comercial vende alimentos não nutritivos, devemos estimular a organização de outros circuitos culturais, locais, regionais e nacionais, mesmo didáticos, populares, visando a valorização de sua memória e de sua representação simbólica.

Biografias do autor

Fábio Libório Rocha, Centro Universitário do Distrito Federal
Doutor em Psicologia Clínica, Professor do Centro Universitário do Distrito Federal, Érica

Ell, Fundação Oswaldo Cruz
Doutor em Meio Ambiente e Desenvolvimento, Pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz.

Leia mais em: https://raca.fiocruz.br/index.php/raca/article/view/24

Comentários estão fechados.